"Nada torna, nada se repete, porque tudo é real."
*Alberto Caeiro

segunda-feira, maio 14, 2007

voltas.te

este abraço uniu duas margens. dois tempos. duas cidades.
jamais separar do corpo aquilo que nunca nos pertenceu. mas que é nosso. jamais os teus olhos assim tão longe. jamais os teus passos distantes. mistura-te neste chão, nestas paredes. confunde-me as mãos nas tuas. os meus cabelos nos teus.
e este sorriso aqui: é meu ou teu?


Az

tão bom quando do sangue comum nos nasce a amizade.

3 comentários:

Magnólia disse...

Pouco interessa de quem é o sorriso, desde que te faça feliz...

mano disse...

é nosso ;)

Az disse...

é nosso e de quem se quiser misturar com ele.

Ontem foi:

About me:

A minha foto
a entropia é a minha religião. alterno a leitura da bíblia com a interpretação de mapas e mãos. bebo, preferencialmente, azul. tenho, ainda, o hábito de escrever cartas_

Sopra-me ao ouvido: