"Nada torna, nada se repete, porque tudo é real."
*Alberto Caeiro

quinta-feira, julho 19, 2007

4as em Lisboa: página solta de diário

ontem voltei a sentar-me em frente ao lago
a relva estava seca
o sol queimava
não descalcei os sapatos
mas tirei a camisola
ia jurar que a tua mão passou muito perto dali
de um fio de cabelo
de uma alça descaída
de um pedaço de tecido das calças
mas não
pura ilusão óptica
provocada pelo sol
pelos reflexos no lago
pelos pares de namorados à minha volta
até pelo chilrear das crianças ao fundo

sem dúvida:

a cidade é tão bonita lá fora

4 comentários:

Natália Nunes disse...

Por que não tirar os sapatos tb?
rsrs.

Não li, vi e senti a cena.

;)

ana disse...

poema à parte, eu descalcei os sapatos ;-)

aida monteiro disse...

muito belas
as tuas palavras.

um abraço grande.

Magnólia disse...

Lisboa é sempre Lisboa. Bonita por fora e por dentro!

Ontem foi:

About me:

A minha foto
a entropia é a minha religião. alterno a leitura da bíblia com a interpretação de mapas e mãos. bebo, preferencialmente, azul. tenho, ainda, o hábito de escrever cartas_

Sopra-me ao ouvido: