"Nada torna, nada se repete, porque tudo é real."
*Alberto Caeiro

terça-feira, setembro 11, 2007

As minhas gavetas são abismos de memórias.

2 comentários:

Anónimo disse...

Visiono constantemente esse abismo, esses memoriais habitados nos pensamentos. O desejo de perfurar os meus sonhos, de percorrer as viagens das minhas mãos.
Acolhe-se em mim um sonho que tive, chega-se sempre muito devagar, como a tecelagem nas mãos de uma senhora repleta de décadas. Um prazer à paisagem que sempre nos resta, aos olhos e almas.

ana

ana disse...

os meus olhos, a minha alma, aqui, rendidos a estas tuas palavras, a estas paisagens de quem guarda mundos, imensos, por dentro.

Ontem foi:

About me:

A minha foto
a entropia é a minha religião. alterno a leitura da bíblia com a interpretação de mapas e mãos. bebo, preferencialmente, azul. tenho, ainda, o hábito de escrever cartas_

Sopra-me ao ouvido: