"Nada torna, nada se repete, porque tudo é real."
*Alberto Caeiro

quarta-feira, dezembro 19, 2007

não há palavra que me comova a ponta dos dedos.

este inverno sou eu a debater-me contra a tinta seca das canetas que vou acumulando no resto do ano.

1 comentário:

ka disse...

tenho um caroço de pera-abacate plantado num vaso vermelho, faz semanas. eu sei que tenho, mas ninguém diria...
de manhã senti-me tentada a esgravatar a terra. queria a certeza da "vida" ali escondida. ainda iniciei o gesto, mas parei rápido.
vai chegar o momento daquela minúscula folha verde a rebentar pelo negro da terra.
eu sei que vai.
e também sei o que se vai desenhar no meu rosto no instante exacto da descoberta.

Ontem foi:

About me:

A minha foto
a entropia é a minha religião. alterno a leitura da bíblia com a interpretação de mapas e mãos. bebo, preferencialmente, azul. tenho, ainda, o hábito de escrever cartas_

Sopra-me ao ouvido: