"Nada torna, nada se repete, porque tudo é real."
*Alberto Caeiro

segunda-feira, maio 25, 2009


Kumi Oguro, Cactus,2003

Há momentos em que o amor é uma forma de nos enganarmos mais um pouco. Mais um pouco.

4 comentários:

Susana Miguel disse...

(...)o amor é sempre mais um pouco, mais um pouco;)

Narcisa disse...

Quanta verdade numa só frase.

indigo des urtigues disse...

:) quando o amor não é mais que a ilusão...

Cão Sarnento disse...

O amor tem as costas largas. Não há pejo algum em atacá-lo como um monstro mau que serve de bode expiatório para a estupidez.

Ontem foi:

About me:

A minha foto
a entropia é a minha religião. alterno a leitura da bíblia com a interpretação de mapas e mãos. bebo, preferencialmente, azul. tenho, ainda, o hábito de escrever cartas_

Sopra-me ao ouvido: